Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > Setembro Amarelo mobiliza setores em campanha de estímulo ao cuidado da saúde mental

Notícias

Setembro Amarelo mobiliza setores em campanha de estímulo ao cuidado da saúde mental

Coordenadoria de Saúde reforça a conscientização do acompanhamento com psicólogos e enfatiza a importância de discutir sobre o assunto

Ações do documento

publicado: 09/09/2022 13h58 última modificação: 16/09/2022 15h49

Realizado desde 2014, o Setembro Amarelo é um evento promovido pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM), que tem como objetivo principal estimular o cuidado com a saúde mental. O dia 10 de setembro é marcado pelo Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, um momento de refletir sobre as causas que levam as pessoas a manifestarem o desejo de morte e como debelar este tipo de pensamento. Este ano, o lema é “A vida é a melhor escolha!”.

A Coordenadoria de Saúde (CSaúde) do Tribunal Regional do Trabalho da Paraíba (13ª Região) se mobiliza para reforçar a importância da campanha, enfatizando as ferramentas disponibilizadas pelo setor para auxiliar os servidores e seus respectivos dependentes que estejam passando por algum tipo de problema relacionado à saúde mental.

O psicólogo Aldeny Cavalcanti destacou que os esforços relacionados à pauta são realizados por toda a equipe da CSaúde. A gente precisa falar sempre sobre isso, apontando que há este tipo de ferramenta a seus servidores. Os médicos também estão preparados a perceber a necessidade dos pacientes de um atendimento psicológico”, apontou o profissional.

O suicídio é uma triste realidade que atinge o mundo todo e gera grandes prejuízos à sociedade. Na última pesquisa realizada que trouxe números a respeito da questão aconteceu em 2019, promovida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), são registrados mais de 700 mil suicídios em todo o mundo, sem contar com os episódios subnotificados, o que pode elevar este número para a casa do milhão. No Brasil, foram detectados cerca de 14 mil casos na época.

A pandemia de Covid-19 contribuiu para o aprofundamento do problema. É o que destacou o psicólogo da CSaúde, Aldeny Cavalcanti. “A estimativa é que este número tenha aumentado entre 25% a 30% durante o período de isolamento social. Agora, após este período de grande estresse emocional coletivo, a tendência é que os casos de suicídio possam aumentar ainda mais, pois teve quem segurou as pontas durante o período mais crítico e só agora comecem a sentir as consequências deste peso. Por isso, é preciso ter atenção redobrada e reforçar ainda mais esta discussão”, defendeu.

Uma parcela da população que deve ter especial atenção foram os médicos, enfermeiros e demais profissionais de saúde que trabalharam na linha de frente do combate à Covid-19, que apresentaram uma sobrecarga de trabalho e estresse mental que abre caminho para o adoecimento. “Eles enfrentam o burnout, que é o esgotamento motivado pela rotina profissional. Nas avaliações realizadas com os profissionais de saúde, chamou atenção o aumento da incidência de ideias suicidas. É um público que merece especial atenção agora”, argumentou.

O suicídio é um assunto considerado tabu. Há o consenso entre os veículos de comunicação para não noticiar casos relacionados a pessoas que tiram a própria vida, para não estimular o ato. No entanto, para o psicólogo, isso não pode significar a total ausência da discussão. “É preciso falar sobre isso, dar a oportunidade para a pessoa se abrir, falar sobre suas questões, sobre seus problemas. Pode parecer pouco para quem está de fora, mas quem vivencia esse tipo de sofrimento é bastante coisa”, defendeu Aldeny, apontando os mecanismos da saúde pública que podem auxiliar pessoas que passam por essas questões, a exemplo dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS).

No âmbito do TRT-13, os servidores e seus parentes de primeiro grau podem procurar os profissionais da Coordenadoria de Saúde (CSaúde), com a possibilidade de agendamento de consultas por meio do portal do Regional. “Através do Sistema Integrado de Gestão de Saúde (SIGS), é possível agendar consultas para médicos, dentistas, enfermeiros, psicólogos e fisioterapeutas. É possível escolher os dias e horários dos psicólogos disponíveis e agendar automaticamente. Também é possível enviar um e-mail ou mensagem pelo chat”, pontuou Aldeny Cavalcanti.

A busca por atendimento psicológico e psiquiátrico ainda sofre forte estigma, algo que, na visão do profissional, é preciso ser superado, afinal, o acompanhamento é fundamental para uma melhor qualidade de vida. “Infelizmente, as pessoas ainda têm muito preconceito em relação à saúde mental e a busca por profissionais da área. Ao falar que as pessoas precisam procurar um psicólogo, permanece a mentalidade de que é algo para quem está ‘louco’, mas não é bem assim. Minha prioridade é evitar que o sujeito fique doente, os profissionais de saúde mental precisam agir de maneira preventiva, mais do que remediadora”, salientou.

André Luiz Maia

Assessoria de Comunicação Social TRT-13