Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > Dia do servidor público: em meio aos desafios provocados pela pandemia, servidores e magistrados comemoram data

Notícias

Dia do servidor público: em meio aos desafios provocados pela pandemia, servidores e magistrados comemoram data

Presidente do TRT-13 celebra momento por meio de mensagem à instituição

Ações do documento

publicado: 28/10/2021 14h30 última modificação: 03/11/2021 09h02

Atender à população é, de longe, o objetivo mais simples na vida de um servidor público. Conselheiro, ombro amigo, facilitador, solucionador de problemas: tais adjetivos podem, também, ser atribuídos a este que é imprescindível ao funcionamento de qualquer instituição pública, seja no âmbito municipal, estadual ou federal. O dia 28 de outubro é a data em que se celebra este profissional, que escolheu dedicar a vida a servir ao público com excelência e idoneidade.

O presidente do Tribunal Regional do Trabalho da Paraíba (13ª Região), desembargador Leonardo Trajano, em mensagem aos servidores e magistrados da instituição, salientou a importância do papel que desempenham diariamente. “Este é o momento de celebrar e festejar os servidores públicos, que têm a relevante e fundamental missão de servir à sociedade”, enfatizou.

Um dos servidores do Tribunal que não só compreendeu como abraçou a missão de ser um verdadeiro servidor público é o diretor-geral do Regional, Alexandre Gondim Guedes Pereira. Filho de dois servidores públicos e com uma filha que seguiu o mesmo caminho, ele relatou que ingressar no serviço público era um sonho de vida. “Sou apaixonado e posso dizer que sou vocacionado para servir à população. Saber que meu trabalho pode melhorar a vida de outra pessoa, trazendo dignidade, me encanta”, afirmou.

Há 35 anos atuando como servidor público no TRT-13, o diretor-geral salientou que já acorda pensando no que pode fazer para melhorar ainda mais o seu ofício e a entrega à sociedade, sempre buscando atender à expectativa do usuário dos serviços do Tribunal. “Ser servidor da Justiça do Trabalho, que é uma justiça que busca devolver a dignidade às pessoas, é muito bacana. O Tribunal existe para resolver os conflitos trabalhistas, então, se entendermos que cada processo tem um cidadão que precisa de um julgamento e voltar a ter dignidade, vamos fazer bem o nosso trabalho. O servidor é o grande patrimônio de qualquer instituição”, frisou.

Além disso, para ele, ser servidor público é semelhante a um sacerdócio. “Meu trabalho é extensão da minha casa e trato com tanto zelo quanto trato minha casa e meus filhos. Sou encantado pelo serviço público porque assim fui criado. Aprendi em casa a importância da dedicação”, concluiu.

Alexandre Gondim.jpeg

Foco em solucionar problemas

A juíza Nayara Queiroz, titular da 3ª Vara do Trabalho de Campina Grande, é servidora pública desde 1990, quando foi aprovada no primeiro concurso feito pelo TRT-13. Inicialmente servidora da instituição, atualmente é magistrada, mas não é a única da família que seguiu o caminho do serviço público: seu pai era empregado público e as irmãs também são servidoras.

“Inicialmente busquei o caminho da estabilidade financeira. Depois, fiquei muito interessada em prestar um serviço à sociedade. Fui em busca de trabalhar em contato com o público por meio da magistratura. Ser servidora pública é ser uma profissional de ajuda. É dedicar horas da vida prestando um serviço para auxiliar as pessoas a solucionar seus problemas do dia a dia”, ressaltou a magistrada.

Para a juíza, ser aprovada em um concurso público exige dedicação e muito empenho, mas ter um “sentido” torna a jornada mais suave. “O trabalho quando criativo dá sentido ao viver. Pelo trabalho se consegue desenvolver o potencial vital do ser humano: a criatividade. O trabalho significa um dos sentidos para a minha existência”, destacou. Por fim, a magistrada comentou sobre o desafio que foi atuar durante a pandemia da Covid-19.

“Assimilar novas tecnologias, associar e dissociar a vida profissional e privada, afastar-me do contato direto e face a face das pessoas, como servidores, advogados, conflitantes e todos os que fazem o TRT-13 foi um reinventar-me para o novo. Foram muitos movimentos, mas fui me adaptando e consegui chegar até aqui com alegria e satisfação com o trabalho”, pontuou a juíza Nayara Queiroz.

Nayara Queiroz.jpeg

Surgimento

As primeiras leis criadas para regulamentar os direitos e deveres dos funcionários que prestam serviços públicos foram instituídas por meio do decreto nº 1.713, de 28 de outubro de 1939, pelo então presidente Getúlio Vargas. Dessa forma, a data foi escolhida para celebrar o dia do servidor público. Também foi durante o governo Vargas que foram criados o Conselho Federal do Serviço Público Civil, em 1937, e o Departamento Administrativo do Serviço Público do Brasil, em 1938.

Atualmente, a Lei nº 8112, de 11 de dezembro de 1990, é a norma que dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais. Conforme prevê a própria lei, “os cargos públicos, acessíveis a todos os brasileiros, são criados por lei, com denominação própria e vencimento pago pelos cofres públicos, para provimento em caráter efetivo ou comissão”.





Celina Modesto
Assessoria de Comunicação Social TRT-13