Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2021 > 05 > Reunião virtual marca início do projeto Transformação Digital no TRT-13

Notícias

Reunião virtual marca início do projeto Transformação Digital no TRT-13

Coordenadoria de Material e Patrimônio será primeira unidade a receber a iniciativa

Ações do documento

publicado: 31/05/2021 14h59 última modificação: 01/06/2021 13h49

Teve início, nesta segunda-feira (31), a aplicação do projeto Transformação Digital no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da Paraíba (13ª Região), com a realização de uma reunião virtual com as equipes da Secretaria de Tecnologia da Informação e da Comunicação e do Laboratório de Inovação do Tribunal. A Coordenadoria de Material e Patrimônio é a primeira unidade beneficiada com o projeto, que visa à racionalização da força de trabalho do Tribunal.

O encontro de trabalho foi realizado por meio da plataforma Google Meet e teve como foco uma conversa prévia sobre algumas das principais necessidades do setor. Além do coordenador da unidade, Weberte Araújo, também participaram da reunião o diretor geral do Tribunal, Alexandre Gondim, e o diretor da Secretaria Administrativa, Aryoswaldo Brito. O diretor da Setic, Rodrigo Cartaxo, ao iniciar as discussões, afirmou que a presença dos diretores era estratégica.  “Buscamos ampla visão da parte gerencial, de forma a contribuir para identificar os principais problemas e gargalos da unidade e, assim, melhorar o serviço por ela prestado”, explicou.

Por sua vez, o coordenador de Material e Patrimônio, que também integra o Comitê Inova TRT-13 e o Escritório de Gestão de Riscos do Tribunal, comentou que o maior desafio do setor está relacionado à mão de obra e automatização dos processos. “A atividade desenvolvida é muito peculiar e depende bastante do trato humano. Então, a automatização vai ajudar, por menor que seja, e trazer eficiência nos processos, porque tira a sobrecarga de trabalho”, comentou.

Para o diretor geral do TRT-13, a decisão de começar o projeto pela unidade de Material e Patrimônio foi acertada, uma vez que ela servirá como “laboratório” para os demais setores. “Automatizar processos é extremamente importante e contar com a ida de pessoas da área de TI pode ajudar sobremaneira no tocante à habilidade dos servidores com o uso de tecnologia. Sugiro que apostem todas as fichas neste ‘embrião’”, frisou Alexandre Gondim.

Já o diretor da Secretaria Administrativa enfatizou que existem muitos desafios a serem analisados. “Além da otimização da mão de obra, há a própria gestão do material. Existem varas, por exemplo, que possuem almoxarifado particular. Outra questão é a compatibilização de pedidos antigos com pedidos novos. Então, há muito a se pensar”, lembrou Aryoswaldo Brito.

O gestor do projeto, Marcelo Machado, enfatizou a importância de ter acesso a diferentes perspectivas acerca do mesmo setor. “Queremos ampliar a discussão e perceber diferentes aspectos sobre as questões que envolvem a unidade para, posteriormente, fazer com que as informações se combinem, de modo a termos a visão mais completa possível. Assim, poderemos chegar a melhor solução e estratégia para resolver os desafios da unidade”, explanou, acrescentando que a reunião é uma conversa inicial.

O projeto

Durante seis semanas, o projeto Transformação Digital tem o objetivo de percorrer determinados setores do Tribunal para identificar os principais desafios enfrentados e propor soluções, com foco na otimização da força de trabalho. As soluções podem envolver automação, alterações de processos ou produtos/serviços.

Para isso, o projeto depende da colaboração de servidores e magistrados, que atuarão lado a lado com a equipe técnica designada para atuar na iniciativa, composta por desenvolvedores da Setic, representantes do Comitê Inova TRT-13 e do Laboratório de Inovação.

As unidades que receberão o projeto já foram selecionadas e indicadas pela Administração do Tribunal, que usou, entre os critérios de priorização, a quantidade de rotinas manuais, a criticidade das atividades e o total de servidores ativos. De acordo com o cronograma montado, a previsão é que o projeto seja finalizado em 2022.

 


Celina Modesto

Comunicação Social TRT-13