Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2019 > janeiro > Ministro diz em posse no TRT que a Justiça do Trabalho precisa estar unida

Notícias

Ministro diz em posse no TRT que a Justiça do Trabalho precisa estar unida

Veja saudações aos novos gestores e cobertura fotográfica das posses

Ações do documento

O ministro Renato de Lacerda Paiva, vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), no exercício da Presidência, esteve na posse dos novos dirigentes do Tribunal do Trabalho da Paraíba (13ª Região), desembargadores Wolney de Macedo Cordeiro, presidente, e Leonardo Trajano, vice-presidente e corregedor.

“A Justiça do Trabalho viverá momentos mais delicados daqui para a frente e precisamos estar todos unidos”, disse o ministro desejando sucesso à nova gestão. O ministro Renato Lacerda mencionou que a justiça do Trabalho tem prestado um serviço extraordinário à sociedade nos seus 24 tribunais regionais, nas mais de 1.500 varas do trabalho e 3 mil juízes de primeiro grau. E sobre a sua presença na posse dos novos gestores do TRT13 o ministro disse que “para nós, do Tribunal Superior do Trabalho, é sempre um momento importante estar presente na mudança de uma direção e de um tribunal que tem contribuído muito para a sociedade da Paraíba”.

Saudações do TRT e MPT

A cerimônia, muito prestigiada por autoridades, juízes e servidores da Justiça do Trabalho e familiares dos empossados, aconteceu na segunda-feira (7), no Centro Cultural Ariano Suassuna, no Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, em João Pessoa.

O desembargador Ubiratan Moreira Delgado saudou os novos gestores do TRT representando a instituição. “Seguramente, não poderíamos estar em melhores mãos. Sua excelência chega ao comando da Casa com enorme cabedal de mais de duas décadas de serviços prestados à causa da Justiça e, em especial, ao TRT13”.

O desembargador, que já exerceu a Presidência do Tribunal paraibano, disse que a visão coletiva em prol do bem comum e do interesse da sociedade, “tem dominado o cenário administrativo do 13º Regional há mais de uma década, fazendo com que não tenhamos guinadas repentinas ou aventuras rocambolescas a cada dois anos. Aqui, o planejamento estratégico e a continuidade administrativa são mais do que um jargão para enfeitar os discursos e dar uma tinta de modernidade a práticas arcaicas; são, de fato, uma realidade vivenciado no dia a dia”.

Em seguida falou o procurador-chefe da Procuradoria do Trabalho na Paraíba, Carlos Eduardo de Azevedo Lima, representado do Ministério Público do Trabalho. Destacou o trabalho e a parceria do Ministério Público com o Judiciário Trabalhista na busca por garantia da dignidade no trabalho e o trabalho de excelência desenvolvido pelo TRT da Paraíba. O procurador lamentou os ataques que a Justiça do Trabalho vem sofrendo “como se ela fosse responsável pelas crises, quando, na realidade, ela é parte da solução e não do problema. Até porque os ataques não vem pelas eventuais falhas da Justiça do Trabalho, mas sim por suas qualidades e seus julgamentos céleres e efetivos”. Finalizou desejando êxito à nova gestão, “que certamente precisará para enfrentar esses desafios”.

OAB e Amatra 13

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-seccional Paraíba) foi representada pela advogada Ílina Cordeiro de Macedo Pontes. Ela destacou a carreira irretocável do magistrado que assume a honrosa, porém hercúlea função de presidir o Tribunal do Trabalho da 13ª Região, acrescentando que “para alguém que ingressou na magistratura tão jovem, porém certo da vocação, o desembargador Wolney Cordeiro encontra-se perfeitamente apto para exercer seu mister. A ilustração do desembargador Wolney Cordeiro, em seu mister, com certeza deveria reunir todas as suas características enquanto excelente magistrado, visto que é cordial com os advogados, equilibrado em suas decisões, e comprometido com o estudo e a análises dos seus processos”.

Entre as autoridades que saudaram os novos gestores, o último discurso foi do juiz Marcelo Carniato, presidente Associação dos Magistrados da 13ª Região (Amatra13). Ele declarou que o momento é de grande celebração para TRT13, que terá um magistrado com tanta capacitação técnica e intelectual à frente desta corte. Ele ressaltou que os 28 anos de dedicação do novo presidente à magistratura revelaram “um profissional extremamente dedicado ao seu mister e comprometido com a boa e efetiva prestação jurisdicional”.

Por Satva Costa