Você está aqui: Página Inicial > Comunicação Social > Notícias > 2010 > 02 > Ministro do STJ elogia projeto Cordel do Trabalho

Ministro do STJ elogia projeto Cordel do Trabalho

Ações do documento

publicado: 24/02/2010 08h36 última modificação: 30/09/2016 10h17


O ministro do Superior Tribunal de Justiça, Castro Meira, enviou correspondência ao presidente do TRT, desembargador Edvaldo de Andrade elogiando o Projeto Cordel do Trabalho, do Regional paraibano.


Na correspondência o ministro diz que “a iniciativa merece aplausos ao utilizar essa conhecida manifestação da nossa cultura popular como valioso meio de divulgação das normas protetoras do Direito do Trabalho entre seus principais destinatários, utilizando uma linguagem de fácil compreensão para todos”.


O ministro Castro Meira é baiano e integra o STJ desde junho de 2003. atulmnete é membro da 1ª Seção, da 2ª Turma e suplente da Comissão de Coordenação.


O Projeto Cordel do Trabalho do TRT da Paraíba, de autoria da Assessoria de Comunicação do TRT, com o apoio da Amatra 13 – Associação dos magistrados do Trabalho, tem o objetivo de ensinar aos trabalhadores sobre o que diz a lei em relação aos seus direitos e valorizar uma cultura tipicamente nordestina que é o cordel.



Oliveira de Panelas


Os repentes são de autoria do poeta popular Oliveira de Panelas. Para que o projeto alcance realmente a população, a Presidência do TRT vai buscar o apoio das emissoras de rádio de todo o estado. CDs com os 15 versos, de 30 e 45 segundos, interpretados por Oliveira de Panelas, serão distribuídos com as emissoras.


“Sei que todas vão aderir ao projeto. O rádio e o cordel são instrumentos de comunicação inerentes à alma do povo nordestino. Estão nas suas raízes e nos seus corações. Ao traduzir a linguagem do Direito do Trabalho para o cordel e divulgar essa obra, transformada em cantigas populares, pelas ondas do rádio, o Tribunal Regional do Trabalho e a Amatra 13 estão promovendo cidadania”, disse o desembargador Edvaldo de Andrade, presidente do TRT.

Noções de cidadania e justiça


Segundo o presidente da Amatra, juiz André Machado, o Cordel do Trabalho é fruto da compreensão da Amatra 13 quanto à necessidade de esclarecimento da população acerca dos seus direitos fundamentais. “Através desse projeto, poderemos levar aos cidadãos paraibanos, notadamente os mais humildes e que residem em locais distantes dos grandes centros, noções de cidadania e justiça através da autêntica cultura popular”.

A força do rádio


Para o assessor de Comunicação do TRT, jornalista José Vieira Neto, autor do projeto, o “Cordel do Trabalho” irá ao ar nas emissoras de rádio por ser este um veículo popular de grande audiência. “Mesmo com a internet e a TV, a força e a importância do rádio são indiscutíveis. E o projeto objetiva a divulgação de cordéis em emissoras de rádio inclusive nas comunitárias, para atingir a população mais carente, que precisa de mais informação”.


Os repentes abordam, entre outros temas, salário, férias, fundo de garantia, aviso prévio, demissão, descanso semanal, trabalho doméstico e assédio moral e sexual.